MARKETING

MARKETING
ESPAÇO PARA ANÚNCIO ON-LINE

MATERIAL PARA CONCURSO PÚBLICO

MATERIAL PARA CONCURSO PÚBLICO
Fonte original: http://www.apeoesp.org.br/

PROPOSTA CURRICULAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROPOSTA CURRICULAR DO ESTADO DE SÃO PAULO
CLIC NA IMAGEM E ACESSE O CURRÍCULO DE 2013

VÍDEOS EDUCATIVOS, PEDAGÓGICOS E DIVERTIDOS.

VÍDEOS EDUCATIVOS, PEDAGÓGICOS E DIVERTIDOS.
Clic na imagem acima e assista aos vídeos.

PROFESSORES QUE TAL NOS UNIRMOS

ENTRE NA REDE

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

DICAS DE FILMES E COMO TRABALHAR COM FILMES NA SALA DE AULA



Como trabalhar com os filmes na sala:

A priori, que tal buscar uma fundametação teórica:
O livro de Marcos Napolitano: Como usar o cinema na sala de aula. Editora Contexto, 2010.




Antes de arriscar a utilizar os filmes como material complementar ou de apoio pedagógico e didático é preciso buscar uma fundamentação teórica e prática, começando por:
1- Saber a origem dessa maravilha lúdica inventada para a sociedade: a sua origem data de 1895, obra dos irmãos franceses Louis e Auguste Lumière. Contudo, o cinema passou a fazer parte dos planejamentos dos historiadores, por volta de 1970, depois que esse adentaram o contexto escolar;
2- O filme é uma mercadoria: o autor do filme não construiu a sua obra diretamente para o Currículo escolar, esse segue as regras do Capitalismo, outrossim,  vender no mercado. Sendo assim, "[...] é produzido dentro de um projeto artístico, cultural de mercado- um objeto da cultura para ser consumido dentro da liberdade maior ou menor do mercado", (Almeida, 2001, p.7) portanto, a sua adaptação ao contexto escolar e ao currículo é essencial, cabe ao professor com as suas habilidades e percepção fazer essa transposição, da telinha para a sala de aula.
3- Antes de reproduzir o filme para os alunos, ocorre a necessidade do Planejamento por parte do professor, tal como conhecer e assistir ao filme antes, se preciso mais do que uma vez além de montar uma ficha técnica;
4- Transpor o filme para o conteúdo ou vice-versa: a temática do filme proporciona uma articulação com o currículo e conteúdo, qual a classificação em relação a faixa etária da clientela, existe recursos tecnológicos na unidade escolar, entre outras ações;
5- Dar pistas para os estudantes, elaborando um roteiro a ser seguido pelos alunos;
6- Conceber junto aos alunos que o filme não é uma cópia fiel da temática representada na telinha, e sim uma versão e interpretação do autor do mesmo. Por consequência, o filme fala mais da época da sua produção do que a temática da representação, como afirma Marc Ferro historiador da Escola de Annales:

[...] o filme pode tornar-se um documento para a pesquisa histórica na medida em que articula ao contexto histórico e social que o produziu um conjunto de elementos intrínsecos à própria expressão cinematográfica. Esta definição é o ponto de partida que permite tirar do filme terrenos das evidências: ele passa a ser visto como uma construção que como tal, altera a realidade através de uma articulação entre a imagem, a palavra, o som e o movimento. (Ferro, Marc. Cinema e história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977, p. 86).

7- Após a reprodução do filme, orientar aos alunos a fazer uma pesquisa sobre o filme, essa etapa aguça as competências e habilidades em pesquisa, leitura e intepretação. Comece por uma Ficha elaborada pelos alunos após a pesquisa, como: quando foi a produção? Onde? Quem o produziu? Essas são somente algumas sugestões, cabe ao professor diante da realidade de sua turma, fazer outras;

8- Planejar como produzirá o filme, como local, tempo e quantidade de alunos: a exemplo o filme pode ser trabalhado na sala de vídeo da própria escola, porém, tod cuidado é pouco devido ao tempo das aulas;
9- Tem aqueles que preferem que os alunos assistam em casa em pequenos grupos, fazendo um roteiro, ficha técnica, resenhas, etc. Contudo, verifique se o filme está disponível nas locadoras, se a sua clientela tem recursos tecnológicos e financeiro para essa proposta;
10- Enfim, tem outros que arriscam a fazer recorte com cenas do filme, e reproduzir na sala de vídeo junto aos estudantes, uma órima ideia, mas exige, algumas precauções, tais como: trabalhar um roteiro de pesquisa sobre a temática do filme, explicar para os alunos a importâncias daquelas cenas, contextualizar com o conteúdo da proposta, entre outros.

Depois de todas essas ações é primordial que o professor, faça uma avaliação de seus alunos como:

1- Verificar se foi possível desenvolver a criticidade nos alunos;
2- Se assimilaram a temática e relacionaram com a matéria na sala;
3- Conceberam as diferentes linguagens utilizadas pelos seres humanos no intuito da comunicação, entre outras;

PARA INÍCIO DE CONVERSA, SEGUEM ALGUMAS SUGESTÕES DE VÍDEOS ABAIXO:


Filme: Entre os muros da escola

Filme completo: O mundo de sofia
 
 
 
No link que se segue existem vários filme como sugestões, tanto para o professor como aluno.
 
http://noticias.br.msn.com/educacao/guia-do-estudante/melhores-filmes-para-ver-no-campus-1#image=19 

ABAIXO UM VÍDEO INTERESSANTE PARA REFLETIRMOS SOBRE AS DIFERENÇAS ENTRE AS PESSOAS.
Filme: Somos todos diferentes
 


EM BREVE MAIS CONTEÚDOS.

Um comentário:

  1. Olá Professor Alberto,
    Primeiramente parabéns pela postagem, gostei muito. Sou seu colega de trabalho no estado só que na disciplina de Sociologia, em Cubatão. Gosto muito de utilizar filmes para ilustrar os conceitos passados nas aulas e tem apresentado bons resultados. Mas é preciso driblar alguns problemas como a falta de uma sala de vídeo na escola (aparelhos tem que ser deslocados de sala para sala) e o tempo escasso das duas aulas semanais. Aproveito e deixo algumas perguntas: Como trabalhar com filmes que possuem por volta de duas horas de duração (que extrapolam as duas aulas semanais)? Utilizar três aulas dentro do nosso calendário apertado seria um exagero?
    Um grande abraço!
    Prof. Fabrício Almeida

    ResponderExcluir